2017 – VALE A PENA VER DE NOVO – VISTA AÉREA DO RODOANEL TRECHO NORTE E EVOLUÇÃO DAS OBRAS DO RODOANEL

Fonte:  Publicado em 11 de jul de 2011 – Maquete eletrônica produzida pela Secretária de Planejamento Urbano de Guarulhos. 

Publicado em 9 de jun de 2017 – Sobrevoo de drone de abril de 2017 Rodoanel Norte Rodovia classe 0 com controle total de acessos. Desenvolve-se a partir do final do Trecho Leste, entre o trevo de interseção com a Rodovia Presidente Dutra e Avenida Raimundo Pereira de Magalhães (início do trecho Oeste), interligando com o Aeroporto Internacional de Guarulhos e a Rodovia Fernão Dias. Eixo principal: 44 km Interligação com Aeroporto de Guarulhos: 3,6 km Benefícios • Desviar e distribuir o tráfego de passagem, sobretudo de caminhões, para o entorno da região metropolitana de São Paulo, principalmente na ligação norte e sul do país, melhorando o fluxo nas marginais tendo como consequência a melhoria do trânsito dos veículos de transporte coletivo e individual • Permitir o acesso mais ágil ao Porto de Santos • Redefinir a plataforma logística de transportes da região metropolitana de São Paulo de radial para anelar • Diminuir o tempo gasto nos congestionamentos, os gastos com combustível e, consequentemente, a emissão de poluentes • Redução de 23% do VDM (volume diário médio) de caminhões na marginal Tietê, o que representa 18.300 caminhões por dia (conclusão da obra) • Redução de 6% a 8% da emissão de CO veicular (gases de efeito estufa) na região metropolitana de São Paulo – Rodoanel como um todo (fonte: Avaliação Ambiental Estratégica do Rodoanel)CategoriaPróximoReprodução automática)

Publicado em julho de 2007 – Para proteger a Cantareira – A Linha Verde forma um bloqueio para preservar a serra e oferece um belo passeio

https://www.prefeitura.sp.gov.br

Quem mora ou passa pela região da avenida Maria Amália Lopes já viu totens e placas identificando o circuito chamado de Linha Verde. Foi criado há pouco tempo e só agora começa a ser divulgado. A Linha Verde é um tesouro. Um imenso bosque de 200 alqueires de área, na Fazenda Santa Maria, propriedade da família Alcântara Machado, que ocupa toda a parte alta da Vila Albertina, desde a avenida Nova Cantareira até a avenida Cel. Sezefredo Fagundes. Um bosque a apenas 11 quilômetros do centro da cidade, que foi transformado pela Prefeitura e pelo Governo do Estado em um tampão para proteger a Serra da Cantareira. Ali, a população pode caminhar, por um trecho de três quilômetros, entre muito verde e painéis que contam a importância da área para a região. Em breve, vai ficar maior. Chegará até a Junção, como é conhecido o trecho onde as avenidas Nova Cantareira e Senador José Ermírio de Morais se encontram. E, depois, também até o Clube de Funcionários da Sabesp.