SÁBADO, 30/03/13, ESTIVE NO CLUBE DA SABESP PELA MANHÃ E AVISTEI A PLACA ABAIXO. AS OBRAS COMEÇARAM EM 25/02/13, NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, BRASIL. O LOTE É O DE NÚMERO 3, EMPRESA "OAS", INVESTIMENTO TOTAL R$ 601.100.000,00.

Licitação do trecho norte do Rodoanel sai por R$ 3,9 bilhões

A licitação do trecho norte do Rodoanel resultou em uma economia de R$ 1,2 bilhão ao governo do Estado de São Paulo.

O resultado do certame será publicado nesta terça-feira no “Diário Oficial”. As empresas vencedoras fizeram ofertas que somam R$ 3,9 bilhões, valor 23% menor do que a referência prevista no edital.

A via ligará o trecho oeste à via Dutra, com acesso ao aeroporto de Cumbica. O traçado, que margeia a serra da Cantareira, terá de três a quatro faixas por sentido, sete túneis e 111 pontes e viadutos.

A obra foi dividia em seis lotes, que ficaram com as empresas Mendes Junior/Isolux Corsán (trecho 1), OAS (2 e 3), Acciona (4 e 6) e Construcap/Copasa (5) -Isolux, Acciona e Copasa são espanholas.

15/01/2013
Fonte: Folha de São Paulo

ENTRADA DO CLUBE DA SABESP. LÁ NO ALTO AVISTAMOS UMA CASA, POIS É, O TRECHO NORTE VAI CORTAR ESSA CASA, PASSAR POR ELA, E SEGUIR AVANTE, ATÉ COMPLETAR SEUS 44 KM DE ESTRADA.

image

AO FUNDO O CAMPO DE FUTEBOL DA SABESP POR ONDE PASSARÁ O TRECHO NORTE DO RODOANEL. MAIS AO FUNDO A MATA QUE SERÁ DESMATADA

image

NESTA FOTO AVISTAMOS MELHOR A MATA.

imageMURO DO CLUBE DA SABESP, LADO ESQUERDO DA ENTRADA

image

MURO DO CLUBE DA SABESP, À ESQUERDA DA ENTRADA.

image

MURO DO CLUBE DA SABESP, À ESQUERDA DA ENTRADA, DENTRO DO CAMPO DE FUTEBOL.

image

MURO DO CLUBE DA SABESP, À ESQUERDA DA ENTRADA, DENTRO DO CAMPO DE FUTEBOL.

image

VISTA DO CAMPO DE FUTEBOL DA SABESP, LOGO NA ENTRADA, DO LADO ESQUERDO DE QUEM DA FRENTE DO CLUBE OLHA, ONDE PASSARÁ O TRECHO NORTE DO RODOANEL. A ENTRADA DO CLUBE VAI MUDAR E FICAR MAIS À FRENTE, PARA DAR LUGAR AO TRECHO.

image

CÉU, LINDO CÉU, EM CONTRASTE COM ESSA EXUBERANTE MATA, QUE SERÁ DESMATADA PARA PASSAR UM VIADUTO OU UMA PONTE OU UM TÚNEL. SEJA LÁ O QUE FOR, A MATA SERÁ INTEGRALMENTE ATINGIDA, NÃO FICARÁ PEDRA SOBRE PEDRA.

image

Fonte: Em 29/03/13, Conceição Aparecida Santos, responsável por este Blog.

Do G1 São Paulo – 29/03/13 – Moradores reclamam de valor de indenização por obra do Rodoanel

Clique aqui para assistir a reportagem do SPTV:

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/03/moradores-reclamam-de-valor-de-indenizacao-por-obra-do-rodoanel.html

Eles temem que montante seja inferior ao valor de mercado.
Dersa diz que valor ficará entre R$ 5 mil e R$ 500 mil.

Moradores da Grande São Paulo estão temerosos com o valor da desapropriação de suas casas e terrenos que deverão ser pagos para a construção do Trecho Norte do Rodoanel. As obras já começaram e devem ser concluídas até março de 2016.

O presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, afirmou ao SPTV desta sexta-feira (29) que os valores das indenizações devem variar entre R$ 5 mil e R$ 500 mil, dependendo do tamanho do imóvel e da regularização da obra. Caso exista escritura, o proprietário deve receber um valor que leve em consideração tanto o tamanho do terreno como as benfeitorias. Os casos serão avaliados individualmente.

Trecho Norte do Rodoanel deve ficar pronto em três anos, diz governador
A reportagem do SPTV visitou uma chácara de quase 15 mil metros quadrados, com cinco casas construídas, que deverá ser desapropriada. Segundo a família, o valor da indenização que o governo ofereceu pela chácara que fornece legumes e verduras para o Ceagesp é muito abaixo do valor de mercado.

“Os peritos que nós trouxemos avaliam entre R$ 3,5 milhões e R$ 4 milhões. Foi oferecido R$ 867 mil. É um valor muito abaixo”, afirmou o comerciante Railton Raimundo dos Santos. Na rua onde fica a chácara, várias outras famílias também vão ter que deixar o lugar onde moram.
A desapropriação segue pelo bairro e, segundo os moradores, inicialmente iria chegar até uma escola municipal do Jardim Curisco. O técnico de trânsito Francisco Florentino de Souza Filho afirmou que o barulho provocado pela passagem dos veículos deve girar em torno de 90 decibéis, o que deve atrapalhar os estudos das crianças e exigir um esforço maior dos professores.

A mudança do trajeto original da rodovia, que vai passar por São Paulo, Guarulhos e Arujá, fez com que o Rodoanel passe também por cima de um outro bairro, o Jardim Novo Mundo. Os moradores dizem que nunca foram chamados para as audiências públicas que discutiram o projeto.

“O pessoal ameaça as pessoas. Se ele chega na sua casa para fazer o cadastro e você não quiser, eles falam que vão entrar na Justiça e que o juiz vai colocar a gente para fora”, afirmou o cabelereiro Gabriel Dimas Lima da Silva.

Uma das casas que vão ser atingidas pela obra ainda está em construção e também foi visitada pelo SPTV. O imóvel que tem 120 metros quadrados, com piso de porcelanato, móveis de alto padrão, cozinha planejada, varanda com churrasqueira, deck de madeira. O proprietário, o empresário Douglas Grugnal, teme o valor que será oferecido de indenização.

“Quando nós adquirimos o terreno e construímos era para ter tranquilidade. Nós não temos tranquilidade”, afirmou.

A obra do Trecho Norte do Rodoanel está atrasada. Há um ano, o governo de São Paulo prometeu entregar todos os trechos da rodovia no fim do ano que vem, mas esse prazo foi esticado até março de 2016. Na semana passada, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) participou da inauguração das obras do Trecho Norte.

O presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, afirmou que a obra já começou com a limpeza dos terrenos e que nas próximas duas semanas os trabalhos devem avançar. Sobre a desapropriação dos imóveis, Lourenço disse que as famílias que moram em casas sem escritura só vão receber pela construção, porque oficialmente não são donas do terreno. Segundo o presidente da Dersa, cada caso vai ser analisado individualmente.

Lourenço afirmou ainda que, caso exista escritura do imóvel, o proprietário deve receber um valor de indenização que leve em consideração tanto o tamanho do terreno como as benfeitorias.
Segundo ele, estão sendo feitas reuniões com as comunidades que serão atingidas e que a Dersa concluiu um trabalho de cadastramento de mais de 3,8 mil famílias dentro do programa de assentamento. Ainda de acordo com Lourenço, as propriedades agrícolas devem ser desapropriadas prioritariamente. Ele afirmou que foram montados 13 centros de plantão para tirar dúvidas da comunidade.

Para entrar em contato com a Dersa, ligue para 0800-7266300 ou por email. Para mais informações, visite o site da Dersa.

29/03/2013 13h14 – Atualizado em 29/03/2013 13h28

Porto de Santos: novos acessos

Com o início das obras de construção do trecho Norte, a implantação do Rodoanel entra em sua fase final. Com 44 quilômetros de extensão, o trecho ligará a Estrada Velha de Campinas, no trecho Oeste, à via Dutra, chegando ao trecho Leste, que está em construção desde agosto de 2011. Esse trecho fará a ligação do trecho Sul e do sistema Anchieta-Imigrantes com as rodovias SP-066 (Itaquaquecetuba-São José dos Campos), Ayrton Senna e Dutra e tem sua conclusão prevista para o final de 2014. Já o trecho Norte deverá estar concluído em 2016. Isso significa que, a partir dessa data, o acesso ao Porto de Santos, a partir de qualquer ponto do Estado e do País, estará mais fácil.

É claro que o Rodoanel concluído será decisivo para o escoamento de cargas entre grandes polos de produção industrial e agrícola e os principais mercados de consumo. E, por sua importância estratégica, deverá inaugurar uma fase de crescimento econômico no País. A questão que fica, porém, é saber se a Baixada Santista estará apta até lá para suportar o impacto de um volume maior de caminhões nas vias de acesso ao Porto.

Hoje, a situação já é caótica, com constantes congestionamentos tanto na Margem Direita (Santos) como na Esquerda (Guarujá). Na verdade, como resultado do crescimento das operações no cais santista e da falta de investimentos em infraestrutura, os gargalos já começam ao sopé da Serra do Mar e vão até a área do complexo portuário.

Uma solução para boa parte do problema pode ser a construção do anel viário na confluência das rodovias Anchieta, Padre Manuel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni, cujas obras tiveram início em fevereiro. Esse anel viário deverá eliminar os congestionamentos nos acessos ao Polo Industrial de Cubatão, principalmente porque as obras incluem a duplicação de trecho de oito quilômetros da rodovia Cônego Domênico Rangoni, do km 262 ao km 270, e faixa adicional do km 270 ao km 274 da rodovia Padre Manuel da Nóbrega. Segundo a Ecovias, as obras deverão estar concluídas em setembro de 2014, mas o anel viário poderá ser liberado antes, em março.

Isso, porém, não significa o fim dos problemas. Há necessidade da construção de novos viadutos e a implantação de faixas adicionais que facilitem o escoamento de cargas. É preciso transformar urgentemente a Marginal Sul da Anchieta e a Avenida Bandeirantes em pistas de apoio à Anchieta e construir, ao final dessa rodovia, um elevado para separar os veículos pesados dos automóveis, criando uma alça para acesso direto de caminhões ao Porto.

Já em Guarujá, como mostram os congestionamentos dos últimos dias em razão do escoamento da safra de grãos, há necessidade de não só intervenções na malha urbana como a implantação de um pátio regulador para caminhões. Também é necessário que as empresas agrícolas do Centro-Oeste tenham maior capacidade de armazenamento: não basta carregar os caminhões e enviá-los diretamente para o Porto, deixando que os veículos façam as vezes de silos.

Fonte: Pravda.ru/Milton Lourenço

Noticiário cotidiano – Portos e Logística
Ter, 19 de Março de 2013 07:34

http://portosenavios.com.br/site/noticias-do-dia/portos-e-logistica/21245-porto-de-santos-novos-acessos

Moradores denunciam irregularidades e BID vem fiscalizar Rodoanel Norte

Moradores da região da Cantareira denunciam pressão da Dersa para deixar as casas, que serão desapropriadas para construção do trecho norte do rodoanel.

O PROAM, Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental, enviou uma petição aos Estados Unidos sobre irregularidades no projeto. Uma comissão do BID virá ao Brasil fiscalizar a obra.

http://m.youtube.com/#/watch?v=G9K9roRgjgM&desktop_uri=%2Fwatch%3Fv%3DG9K9roRgjgM

Enviado em 12/03/2013.

Mar 20, 2013 – Edinho questiona Governo do Estado sobre desapropriação para obras do Rodoanel-Norte

O deputado estadual e presidente do PT paulista, Edinho Silva, protocolou na Assembleia Legislativa requerimento solicitando informações do Governo do Estado sobre o processo de desapropriação de propriedades do bairro Sítio Botuquara, em função da obra de construção do Rodoanel Trecho-Norte. O documento foi enviado ao secretário da Casa Civil, Edson Aparecido.

A obra do Rodoanel teve início na última semana e deve ser concluída, segundo estimativas do governador Geraldo Alckmin, em três anos. São, no total, 44 quilômetros de extensão interligando os trechos Leste e Oeste – começando no entroncamento com a avenida Raimundo Pereira de Magalhães e terminando na interligação com a rodovia Presidente Dutra. Mais de 2,1 mil imóveis estão em processo de desapropriação.

No requerimento, Edinho questiona o governo do Estado qual o cronograma das obras de construção do rodoanel, bem como a finalização do cadastramento das famílias e imóveis afetados pela implantação do trecho. “Quais os critérios utilizados para avaliação dos imóveis que serão objeto de desapropriação, destacando-se como serão feitos os cálculos dos imóveis e das benfeitorias indenizáveis?”, pergunta.

Moradores do Sítio Botuquara afirmam que a DERSA (Desenvolvimento Rodoviário S/A) já realizou perícias e medições na área, bem como já fez contato com os moradores para eventual acordo extrajudicial. Contudo, queixam-se da falta de esclarecimentos sobre os parâmetros utilizados para medição e para definição de valores indenizatórios. “Como vem sendo prestada a assessoria a essas famílias para o esclarecimento de critérios do procedimento expropriatório e onde os documentos referentes aos atos relativos à desapropriação para a construção do trecho norte do Rodoanel estão disponíveis para consulta pública e irrestrita?”, questiona Edinho no documento enviado. O deputado quer saber ainda quais as empresas contratadas para a realização das vistorias.

“A indenização resultante do procedimento de desapropriação deve, sempre, responder ao requisito constitucional do justo valor indenizatório – ressarcindo todos os prejuízos financeiros amargados pelo expropriado. Deve contemplar, inclusive, honorários advocatícios, honorários periciais, jurus compensatórios, jurus moratórios, correção monetária, bem como despesas e custas processuais”, finaliza o requerimento de informação.

Preservação ambiental e social

Para Edinho, a Grande São Paulo e a região metropolitana devem superar seus problemas de mobilidade urbana, porém, com vistas à preservação ambiental e com baixo impacto social. “Defendemos um modelo de desenvolvimento que seja sustentável, ou seja, de respeito ao meio ambiente e, acima de tudo, de respeito aos seres humanos. Essa é a nossa posição”, disse.

Segundo o Governo, a nova rodovia vai beneficiar diretamente dez municípios, entre eles Arujá e Santa Isabel. As obras devem gerar também cerca de 15 mil empregos diretos e indiretos. O Trecho Norte é o último a ser construído, completando o anel perimetral de 177 km em torno do Estado de São Paulo.

Com as desapropriações, o projeto tem custo de R$ 5,6 bilhões. O aporte do Governo Federal na obra é de R$ 1,72 bilhão. O restante é custeado pelo governo de São Paulo e pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID. A assinatura da parceria ocorreu no Palácio dos Bandeirantes.

Fonte: http://edinhosilva.com.br/2013/03/edinho-questiona-governo-do-estado-sobre-desapropriacao-para-obras-do-rodoanel-norte/