Em 29/11/2012, às 16:01, recebi o e-mail abaixo, da Presidência do DERSA e compartilho com a sociedade, me comprometendo a continuar sendo um canal de comunicação entre a população e o empreendimento TRECHO NORTE DO RODOANEL

Em 29/11/2012, às 16:01, Presidencia escreveu

São Paulo, 29 de novembro de 2012

Ref.: Envio do boletim “Notícias Rodoanel Norte”.
 
Prezado(a) Senhor(a), 
 
O Rodoanel Mario Covas tem o objetivo de reduzir o tráfego de passagem na cidade de São Paulo. Quando estiver concluído, sua extensão total será de cerca de 177 quilômetros. Trata-se da maior obra rodoviária do país em andamento, que irá circundar a Grande São Paulo, interligando 10 rodovias e alçando 19 municípios e ligação com o Aeroporto Internacional de Cumbica, no município de Guarulhos.
 
Os trechos Oeste e Sul já estão em operação e as construções dos trechos Leste e Norte estão em andamento, sendo este último construído pela DERSA. A implantação do empreendimento requer o deslocamento involuntário da população situada ao longo da faixa de domínio, necessária à implantação das obras, além de ações de proteção ambiental no trecho, entre outros impactos.
 
Considerando a sensibilidade do processo nas áreas afetadas pelo empreendimento, a comunicação com o público é fundamental. Com a necessidade de criar canais de comunicação com a população local, entre outras peças, desenvolvemos o boletim mensal “Notícias Rodoanel Norte”, anexo a esta mensagem. Seu objetivo é informar, orientar e esclarecer dúvidas sobre o andamento do empreendimento, além de divulgar prestação de serviços, apresentando ações sociais e de proteção ambiental para a população do entorno dos municípios de São Paulo, Guarulhos e Arujá.
 
O boletim impresso, anexo a esta mensagem, será distribuído para a população por meio dos Centros de Informações, Plantões Sociais e equipes técnicas que atuam nas respectivas regiões.
 
A versão digital das próximas edições também será enviada automaticamente para este endereço eletrônico. Caso não deseje recebê-la, basta responder a esta mensagem. 

 Rodoanel_NORTE_ED1 pdf[1]

Permaneço à disposição para quaisquer esclarecimentos que se façam necessários.

Atenciosamente,

DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A

Ferroanel em SP pode acompanhar traçado do Rodoanel

O secretário estadual paulista de Transporte e Logística, Saulo de Castro Filho, afirmou nesta terça-feira que, se o governo federal quiser o ferroanel da cidade de São Paulo com o mesmo traçado do Rodoanel Mário Covas, no trecho norte, é preciso que a construção comece até agosto do ano que vem.

De acordo com ele, passada essa data, a obra do ferroanel vai comprometer o prazo estipulado pelo governo do Estado para concluir o trecho rodoviário, em 2015. “Se for fazer o mesmo traçado, as duas obras têm que caminhar juntas”, disse o secretário, no Palácio dos Bandeirantes. “Em agosto, a obra do ferroanel tem que ter máquina na pista, esse é o prazo máximo que eu consigo segurar a obra do Rodoanel”, completou.

Castro Filho disse que aproveitar o traçado do Rodoanel para construir, ao longo da via, a linha de trem pode gerar uma economia de tempo e de R$ 1,5 bilhão na obra ferroviária do governo federal. “Já temos todo o licenciamento ambiental e o traçado. Aproveitar isso seria uma economia de preço e de tempo para o ferroanel, em um local de difícil construção porque passa por trecho de serra, próximo ao Aeroporto Internacional de São Paulo, e pela zona urbana de Guarulhos”, afirmou.

As obras do trecho norte do Rodoanel serão iniciadas em janeiro próximo, enquanto o ferroanel ainda aguarda licitação, que, de acordo com o secretário, está prevista para o mesmo mês. “Pelo retorno que tenho tido nas conversas com o governo federal, vai dar tempo das obras da ferrovia começarem até agosto de 2013”, afirmou Castro Filho. O trecho norte das obras tem 52 quilômetros de vias e a previsão é de que fiquem prontas no começo de 2015.

Fonte: Atualizado em 27/11/2012 14:09 | Por WLADIMIR D’ANDRADE, estadao.com.br

Rodoanel Norte: Dersa não divulga traçado nem número de famílias desapropriadas

Traçado será ‘ajustado’ durante a obra, diz presidente do órgão. Mais de 10 mil brasileiros perderão seus lares, de acordo com cálculo inicial
 
Com previsão de início de obra até o final deste ano, o trecho norte do Rodoanel ainda é uma grande incógnita. Não há informações sobre o local exato onde a obra será construída, nem sobre quantas famílias serão desapropriadas. A afirmação é do próprio presidente do Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, que esteve no final do mês passado reunido com empresários na sede da Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos.
 
Os cálculos divulgados apontam que o Rodoanel vai tirar de seus lares cerca de 2.500 famílias, ou seja, mais de 10 mil pessoas que, até agora, não sabem para onde serão removidas. Moradores da área envolvida – vários bairros da zona norte da capital e do município de Guarulhos – estão revoltados com a situação de insegurança do projeto.
 
Para o vereador José Américo Dias (reeleito pelo PT), a postura do governo do estado é autoritária e desrespeita a população atingida, que fica a mercê de um improviso. Segundo cálculos do vereador, a obra do Rodoanel Norte vai desalojar entre 6 mil e 10 mil famílias. “O Dersa tem um cálculo menor porque suas estimativas são feitas a partir de fotos aéreas, que não permitem ver os vários pavimentos de cada imóvel”, explica. E lembra que nos trechos Oeste e Sul “o governo do Estado começou bem o atendimento social às famílias atingidas, mas gradativamente foi reduzindo a qualidade do trabalho de assistência e das indenizações”.
 
Traçado fora da lei
 
Já com relação ao traçado, embora o projeto já tenha o licenciamento ambiental, a falta de informações também é preocupante. É o que se depreende desta outra declaração de Lourenço na mesma reunião, em Guarulhos: “Existem uma série de ajustes locais que vão sendo construídos ao longo da obra. Então não é que não queremos divulgar, mas simplesmente porque isso vai sendo discutido e acertado ao longo da construção”, ressalvou o presidente do Dersa.
 
José Américo tem outra avaliação: “O Dersa não pode divulgar o traçado definitivo para se resguardar das mobilizações dos atingidos e, principalmente, de ações judiciais, já que o trecho norte do Rodoanel desrespeita as normas do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) e do Plano Diretor de São Paulo. Uma rodovia classe zero não pode passar a menos de 20 km do centro da cidade e o Rodoanel Norte está a menos de 11 km…É uma obra inteiramente ilegal, porque fere as legislações federal e municipal”, conclui José Américo.
 
Segundo o engenheiro Mauro Victor, conselheiro do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), “não existe controle social” da obra do Rodoanel. Para o ambientalista, “o solo urbano virou uma commodity, na qual o Plano Diretor e o interesse público não prevalecem”. 
 
Mais informações:
 
Vereador José Américo Dias, tel. 11 3396-4851
 
Eng. Mauro Victor (Proam), tel. 11 2953-3002

Fonte: www.segs.com.br
DOM, 25 DE NOVEMBRO DE 2012 – REGINA ROCHA

Contrato para Rodoanel será assinado em dezembro

O governador destacou ainda a importância da construção do Ferroanel, que foi incluído pelo governo federal no pacote de ferrovias anunciado em agosto deste ano.

Brasília – O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quinta-feira que a construção do tramo Norte do Ferroanel de São Paulo junto ao Trecho Norte do Rodoanel irá gerar uma economia de pelo menos R$ 1,5 bilhão ao governo federal. Após reunião com o ministro dos Transportes, Paulo Passos, Alckmin anunciou que o contrato para a construção da parte norte do Rodoanel paulista será assinado junto ao DNIT na última semana de dezembro.

“Essa é a última obra que falta começar para concluirmos os 175 quilômetros do Rodoanel. Em 16 meses, devemos completar o trecho leste, que já está em obras, e em 36 meses, terminaremos também a parte norte”, disse Alckmin.

O governador destacou ainda a importância da construção do Ferroanel, que foi incluído pelo governo federal no pacote de ferrovias anunciado em agosto deste ano. Segundo ele, essas novas linhas ajudarão a retirar os trens de carga de até 1.200 metros de comprimento que passam todos os dias por dentro da capital paulista. “O Ferroanel tem que estar pronto até 2015. Não há mais como passar veículos de carga nas vias de transporte metropolitanas que carregam quase 3 milhões de passageiros todos os dias”, acrescentou o governador.

Além do Tramo Norte e do Tramo Sul do Ferroanel, o governador pretende licitar uma linha para transporte de carga ao lado dos trilhos do Expresso Jundiaí São Paulo. “Realizar essas obras no mesmo espaço facilita a obtenção de licenças ambientais e gera uma grande economia com desapropriações”, acrescentou Alckmin. O governador disse também que o governo paulista deve licitar na próxima semana a linha de trem entre o aeroporto de Guarulhos e a estação do Brás, em São Paulo, com integração para outras linhas do metrô e do transporte metropolitano.

Fonte: Eduardo Rodrigues, do Estadão, 22/11/12