Editado decreto de desapropriações para trecho Norte do Rodoanel

Alckmin assinou decreto durante visita a Mogi das Cruzes, na Grande SP. (Foto: José Luís da Conceição/ Divulgação)

Gasto previsto é de R$ 700 milhões. Cerca de 2,5 mil propriedades serão afetadas.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, editou nesta sexta-feira (30) o decreto de desapropriação de imóveis para a construção do Trecho Norte do Rodoanel. O gasto previsto é de R$ 720 milhões. Cerca de 2,5 mil propriedades serão afetadas. A fase de contato e negociação com os moradores ocorrerá após a publicação do decreto.

De acordo com o governo paulista, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) ficará autorizado a desapropriar os imóveis ao longo do trecho, que atravessa os municípios de São Paulo, Guarulhos e Arujá, interceptando também a Rodovia Fernão Dias (BR-381).

A futura rodovia começa no Trecho Oeste (entroncamento com a avenida Raimundo Pereira de Magalhães, antiga SP-332) e termina na interligação com a Rodovia Presidente Dutra (BR-116).

Traçado do trecho norte do Rodoanel Mario Covas (Foto: Divulgação/Secretaria dos Transportes)

A área total abrangida pelo Rodoanel Norte tem aproximadamente 10 milhões de metros quadrados. A faixa de domínio conta com extensão total de 47,4 Km, com largura média de 130 metros.

A Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), empresa ligada à Secretaria de Logística e Transportes, vai conduzir o cadastramento e a avaliação dos imóveis, mas caberá ao DER o processamento das desapropriações, conforme convênio assinado em dezembro de 2011.

O trecho Norte é o último a ser construído, completando o anel perimetral de 177 km em torno de São Paulo. Os recursos que suportarão os investimentos de implantação do Trecho norte, de R$ 6,51 bilhões, vêm de três origens: R$ 2,79 bilhões do Tesouro do Estado de São Paulo; R$ 2 bilhões por meio de um empréstimo obtido pelo governo paulista junto ao BID e R$ 1,72 bilhão proveniente do Governo Federal.

Fonte: Do G1 SP – 30/03/2012 – Atualizado às 20h23.

Comissão aprova audiência sobre Trecho Norte do Rodoanel

A Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente aprovou nesta quarta-feira a realização de uma audiência pública sobre o Trecho Norte do Rodoanel Mário Covas, em data ainda a ser marcada.

O colegiado também aprovou um requerimento do vereador Chico Macena (PT) que pede informações à Secretaria Estadual de Logística e Transportes e à Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A.) sobre o traçado definitivo do Trecho Norte e o número de famílias que serão deslocadas por conta da obra.

De acordo com o vereador Juscelino Gadelha (PSB), o traçado do Rodoanel já foi alterado algumas vezes e a Câmara ainda não teve acesso ao projeto final, tampouco aos dados sobre a quantidade de pessoas afetadas pela intervenção viária. A ideia é realizar a audiência logo após o recebimento das informações solicitadas ao governo do Estado.

Também na reunião desta quarta-feira, a comissão aprovou outro requerimento com pedido de esclarecimentos à Secretaria Municipal de Habitação sobre a eleição do Conselho Municipal de Habitação.

Segundo o vereador Ítalo Cardoso (PT), os critérios do pleito foram questionados por movimentos e entidades que lutam por moradia, e uma ação civil pública interposta pelo Ministério Público resultou na suspensão do processo eleitoral marcado para dezembro de 2011.

Uma nova data foi agendada, mas, de acordo com Ítalo, os novos critérios não foram amplamente divulgados para a população interessada em participar.

Além do pedido de esclarecimentos por escrito, a Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente aprovou um convite ao secretário Ricardo Pereira Leite para que venha à Câmara explicar o caso.

Fonte: www.camara.sp.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9009:comissao-aprova-audiencia-sobre-trecho-norte-do-rodoanel&catid=34:comissoes&Itemid=91
28/3/2012 – 14h10)

Obra de Aziz Ab'Saber fará parte da coleção 'Leituras Indispensáveis'

Na última sexta-feira, o Movimento Sem Terra (MST) publicou uma nota lamentando a morte do professor Aziz Ab’Saber. Aziz morreu em sua casa, em São Paulo, aos 87 anos. Mas sua história vai muito além de sua colaboração com o movimento. Estudioso da área ambiental e da geografia, ele foi autor de estudos e teorias fundamentais para o conhecimento dos aspectos naturais e dos impactos ambientais no Brasil. Suas pesquisas e tratados tiveram relevância internacional nas áreas de ecologia, biologia evolutiva, fitogeografia, geologia, arqueologia e geografia.

Como que em um gesto de despedida involuntário, Ab’Saber visitou a sede da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), da qual era presidente de honra, e entregou à secretaria sua obra consolidada, com suas pesquisas desde 1946 a 2010.

“Tenho o grande prazer de enviar para os amigos e colegas da universidade o presente DVD que contém um conjunto de trabalhos geográficos e de planejamento elaborados entre 1946-2010. Tratando-se de estudos predominantemente geográficos, eu gostaria que tal DVD fosse levado ao conhecimento dos especialistas em geografia física e humana da universidade”, disse Ab’Saber.

Aziz autografa livro na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP Sua última obra será o terceiro volume da coleção Leituras Indispensáveis, a ser publicado pela SBPC, e traz uma homenagem ao trabalho dos primeiros geógrafos no interior do Brasil. Helena Nader, presidente da SBPC, ressalta que, apesar da aposentadoria, Aziz não deixou de manter a atividade acadêmica e intelectual.

Sua última obra será o terceiro volume da coleção Leituras Indispensáveis, a ser publicado pela SBPC, e traz uma homenagem ao trabalho dos primeiros geógrafos no interior do Brasil. Helena Nader, presidente da SBPC, ressalta que, apesar da aposentadoria, Aziz não deixou de manter a atividade acadêmica e intelectual.

“O professor Aziz mantinha uma lucidez impressionante e estava extremamente ativo, dedicando-se a causas da máxima importância para a humanidade. Nos tempos recentes, ele vinha lutando para que fossem ouvidas suas sérias críticas à proposta de reforma do Código Florestal, que, em sua visão, não leva em consideração o zoneamento físico e ecológico do Brasil. Sua morte foi uma perda irreparável”, disse Helena.

Código da Biodiversidade

O estudioso era um crítico do projeto de reforma do Código Florestal brasileiro, em tramitação no Congresso Nacional. Ele defendia a criação de um Código de Biodiversidade para contemplar a preservação das espécies animais e vegetais em todos os biomas brasileiros.

“Enquanto o mundo inteiro trabalha para a diminuição radical de emissão de CO2, o projeto de reforma proposto na Câmara Federal de revisão do Código Florestal defende um processo que significará uma onda de desmatamento e emissões incontroláveis de gás carbônico, fato observado por muitos críticos em diversos trabalhos e entrevistas”, criticou o estudioso em um artigo.

Para ele, a utopia de um desenvolvimento com o máximo de florestas em pé não poderia ser eliminada em função de mudanças radicais do Código Florestal.

Premiado

Ab’Saber recebeu diversos prêmios, como o Jabuti em ciências humanas (1997 e 2005) e em ciências exatas (2007), o Almirante Álvaro Alberto para Ciência e Tecnologia (1999), a Medalha de Grão-Cruz em Ciências da Terra da Academia Brasileira de Ciências e o Prêmio Unesco para Ciência e Meio Ambiente (2001). Ganhou também o Prêmio Fundação Conrado Wessel em 2005 e recebeu o título de professor honoris causa da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em 2006.

*Com Agência Fapesp

Fonte: www.jb.com.br/pais/noticias/2012/03/20/obra-de-aziz-absaber-fara-parte-da-colecao-leituras-indispensaveis/
20/03/2012

MORRE PROF. EMÉRITO DA USP, AZIZ AB' SABER EM 16/03/2012. QUE ELE DESCANSE EM PAZ. ME SINTO HONRADA DE TÊ-LO CONHECIDO EM 03/10/2011, QUANDO MARCOU PRESENÇA NO TEATRO OFICINA EM SÃO PAULO, COM A PEÇA "MACUMBA ANTROPOFÁGICA PELA SERRA DA CANTAREIRA". MAURO VICTOR E ZÉ CELSO, DIRETOR HÁ 53 ANOS DO TEATRO, E TODOS ALÍ PRESENTES ERGUERAM UMA TAÇA DE VINHO EM APOIO À SERRA DA CANTAREIRA. IZABEL RAPOSO DO JORNAL DA SERRA FOI QUEM ME FEZ O CONVITE.